Renderizando arquivos complexos no Kerkythea

Frequentemente recebo comentários sobre mensagens de erro ao usar o Kerkythea para renderizar arquivos complexos. Para resolver este tipo de problema precisamos fazer duas coisas. Primeiro, devemos modelar os objetos no sketchup de forma mais eficiente a fim de deixar a maquete mais leve. Segundo, devemos usar um método correto de renderização no Kerkythea. Neste artigo farei algumas recomendações com relação a modelagem e métodos de renderização que funcionam melhor com arquivos complexos.

Vamos primeiro tratar da questão da modelagem. Esta é uma recomendação que vale para todo software de modelagem 3D. A dica mais importante aqui é sempre tente usar o menor número de polígonos (faces) para representar algo. Quanto mais faces um objeto tiver, mais difícil é para o software lidar com ele. Para tanto recomenda-se seguir as seguintes orientações.

Modele apenas o que será mostrado na maquete. Algumas pessoas tratam a maquete como uma representação precisa de como será a construção. Em função disso, acabam modelando partes dela que não sejam visíveis ou apareçam nas cenas que serão renderizadas. Isso deve ser evitado pois, cria um enorme número de polígonos sem importância. A recomendação é sempre modelar apenas o que for aparecer.

A segunda recomendação vem em decorrência da primeira. Use blocos e componentes mais simples, que não contenham um número exagerado de detalhes pequenos que não vão aparecer em cena. A menos que o mobiliário vá ser mostrado bem de perto, selecione no 3D Warehouse apenas os componentes com modelagem mais simples (experimente usar o termo “lowpoly” junto de sua busca).

Para fechar esta parte, recomendo a leitura deste artigo. Nele é explicado como modelar corrimãos e outras superfícies curvas de forma a gerar menos polígonos.

Uma vez que a maquete tenha sido modelada da forma mais eficiente, passamos agora a escolha do método de renderização que usaremos no Kerkythea. De um modo geral, a maioria das pessoas usa o “Photon Mapping” para suas renderizações, uma vez que ele produz um bom resultado e é relativamente rápido. No entanto, ele lida mal com cenas complexas. Seja fazendo um cálculo impreciso ou não conseguindo renderizar a cena (um bom exemplo disso é quando ele deixa “vazar” luz em locais onde não há abertura). Felizmente o Kerkythea possui outros métodos de renderização. São eles o “Path Tracing – Progressive”; “Bidirectional Path Tracing”; “Metropolis Light Transport”.

Kerkythea configuração

Todos estes são melhores para cenas complexas e apresentam um bom cálculo de iluminação. Cada um deles é indicado para um determinado tipo de cena, por exemplo: o “Path Tracing – Progressive” é mais recomendado para cenas externas, já o “Bidirectional Path Tracing” para cenas internas. O “Metropolis Light Transport” é o mais preciso deles, no entanto ele é também o mais demorado. Falando em tempo, esta é uma questão em que todos eles perdem para o “Photon Mapping” pois, usam um método de renderização onde a imagem é refinada aos poucos (aqui me refiro aos métodos de números 17, 18, e 19 do menu de configuração de impressão do kerkythea, ver imagem acima). Não existe um limite para a quantidade de vezes em que ela é refinada. Quem determina isso é o usuário que interrompe a renderização quando achar que o resultado já está satisfatório. Por conta disso a imagem sempre fica um pouco granulada. Portanto, prepare se para deixar a imagem sendo refinada por um bom tempo.

Um meio termo entre o “Path Tracing – Progressive” e o “Photon Mapping” seria o “Path Tracing – Hight + AA 0.3”. Ele mantêm o cálculo preciso do primeiro, mas não é tão lento. No entanto, ele pode apresentar algum problema com determinados tipos de textura.

Além do que foi abordado aqui, também é recomendável investir em um hardware melhor, como mais memória RAM para trabalhar com este tipo de cena. Uma vez que tudo isso tenha sido feito, não haverá maiores problemas para renderização de cenas mais complexas.

3 comentários em “Renderizando arquivos complexos no Kerkythea”

  1. olá, estou escrevendo novamente com problemas com imagens pesadas, baixei e instalei a nova versão de kerktythea e estou achando que as imagens estao demorando muito para renderizar isso acontece mesmo?

    Curtir

    1. Olá Thaisy,

      Desculpe a demora. Este problema pode estar acontecendo em função da complexidade do arquivo, mesmo usando uma versão que consegue usar mais memória RAM, é sempre recomendável tentar deixar os modelos o mais leves possíveis. O fato de esta não ser uma versão final do programa também pode estar contribuindo para isto.

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s